João Mangili
Pioneiro das oficinas mecânicas em Barra Bonita


 
 
 
 
 

  Um dos pioneiros de oficinas mecânicas em Barra Bonita e Igaraçu do Tietê, João Batista Mangili chegou aos 75 anos de idade, na época desta matéria, mantendo a vitalidade e entesourando a experiência de mais de 55 anos de mecânica. Nascido em Dois Córregos, SP, desde criança, sonhava com aviões, fazendo planos de ser piloto ou mecânico de manutenção. Oriundo de uma família humilde de imigrantes italianos, realizou em parte os seus sonhos: transformou-se em mecânico, mas de veículos automotores. Aos nove anos de idade já era um aprendiz da profissão que lhe garantiria ser reconhecido em toda a região. Influenciado por um amigo, veio para Barra Bonita na década de 40. Trabalhou bastante, a ponto de montar uma das oficinas especializadas mais eficientes de toda a região. 
 Seu João enfrentou muitas perdas de ordem pessoal, mas os sofrimentos da vida não derrubaram o ânimo deste homem que preza a honestidade e a força do trabalho. Proprietário do Posto de Assistência e Auto Peças Barra Fiat, passou para o filho João Batista Mangili Jr (Joãozinho),  seu dom com a mecânica. 
 Seu  João começou por alugar a oficina Aristeu Lourenço, onde era o Posto São Paulo. Ficou lá uns três anos e foi para lgaraçu do Tietê, onde abriu outra oficina. Depois resolveu ficar de vez na Barra, onde abriu  o posto de assistência Fiat. Ele diz com orgulho que possui o Título de Cidadão de Barra e lgaraçu. 
 A assistência Fiat foi aberta em 1976. Seu João fez vários cursos e tem uma coleção de diplomas técnicos. Mas, quando o filho Joãozinho começou a  ajudar na oficina, seu João deixou as novas técnicas por conta dele. "A minha parte foi no passado, agora é ele quem dá continuidade ao negócio", diz. Seu João lembra alguns antigos clientes, como o pai do Lourenção, que tinha verdadeira paixão por um Ford Pé-de-bode.Seu João também lembra da Usina da Barra, de um caminhão Fiat IS 14,  que era do sogro de Orlando Ometto. "Em 1939, eu ajudei a consertar este caminhão. Hoje, está em exposição. Quando existia a usina do Barreirinho. no tempo do doutor Cristiano. seu Otávio e seu Vitti, dei muita manutenção nos caminhões e tratores deles. Naquela época tinha trator que funcionava a querosene", recorda. Quanta à diferença entre os carros antigos e os de hoje, seu João diz que houve um aperfeiçoamento muito grande, mas não para melhor. Antigamente, disse ele, as peças eram outra coisa. Hoje, todas são descartáveis. Se as peças de hoje fossem iguais às antigas, o sujeito compraria um carro e rodaria por 30 ou 40 anos! Era difícil acabar o carro. Atualmente parece que é tudo descartável, conclui.

Ir para Memória Viva 18


GRANDES MATÉRIAS
MUNDO SERTANEJO
NOSSOS HERÓIS
REVOLUCIONÁRIOS
ESPECIAIS
HOME PAGE
 
 
 
 
 
 

 

Sergio Ferraz - Todos os direitos reservados