Jeú, a espada de Deus!
Ele foi ungido rei sobre Israel e sua missão era matar todos  
da casa de Acabe e acabar com a idolatria naquele reino...
 


 
 
 

  Para poder entender por que Deus mandou ungir Jeú rei sobre Israel e atacar todos da casa de Acabe, que era o atual rei e ainda colocar um fim na idolatria e maldade que imperavam em Israel, é preciso voltar até o reinado de Davi. A terra de Israel foi composta pelas 12 tribos dos filhos de Jacó. E essas  tribos acabaram se dividindo, ficando a tribo de Judá em Jerusalém, junto com a tribo dos Levitas, responsáveis pelos serviços no Templo do Senhor, e as outras dez tribos do outro lado, dando lugar à criação de dois reinados num país só. 
 Quando Davi começou a reinar, ele conseguiu unir novamente as 12 tribos e reinou sobre elas e a união prosseguiu no reinado de Salomão, filho de Davi. Mas já no reinado do filho de Salomão, Roboão, o reino se dividiu novamente, pois os israelitas ficaram desgostosos com as ações de Roboão. Então este ficou reinando sobre Judá e Jeroboão, sobre Israel. 
 Roboão não seguiu os caminhos de Davi e fez mal aos olhos do Senhor. Quando morreu, seu filho, Abião, reinou em seu lugar, e também andou nos caminhos errados do seu pai, mas, após sua morte, seu filho Asa começou a reinar sobre Judá e fez o que era reto aos olhos do Senhor e, na sequência, seu filho Josafá também andou retamente na presença de Deus, e o Senhor firmou o reino de Judá. 
 No reino de Israel, Jeroboão procedeu perversamente e assim se deu com os demais reis que o sucederam, até Onri, também perverso, que ao morrer deixou o trono para seu filho Acabe. Aí começa nossa história...

Acabe e Jezabel matam os profetas  
do Senhor e perseguem Elias

  Acabe, além de proceder mal como seu pai e os demais reis de Israel, ainda casou-se com a ímpia Jezabel, filha do rei dos Sidônios, adoradores do deus Baal. Quando Acabe não cometia nenhuma maldade, Jezabel o fazia, e assim foi até que Deus enviou ao reino de Israel o profeta Elias. 
  A situação ia de mal a pior. Os adoradores de Baal aumentavam no reino de Acabe e sua mulher mandou matar todos os profetas do Senhor, restando apenas Elias. Este lutou muito contra a maldade e a idolatria em Israel, até o episódio do Monte Carmelo, quando o profeta de Deus desafiou 400 profetas de Baal para provarem se o deus deles tinha algum poder. Isso foi feito diante da maioria do povo de Israel. É claro que os adoradores de Baal não conseguiram nenhuma resposta do deus deles, e então Elias, mandando o povo segurar os 400 profetas, matou a todos eles, despertando ainda mais a fúria de Jezabel, que instigando Acabe, colocou todo o reino praticamente a perseguir Elias. Elias teve que se esconder no deserto e, cansado, reclamou ao Senhor.  

  Nesse meio tempo, para aumentar ainda mais a ira do Senhor contra a casa de Acabe, Jezabel mandou matar o inocente Nabote, que era dono de uma vinha bem ao lado do castelo dela, porque seu marido Acabe desejava muito aquela vinha.  Então o Senhor mandou Elias ungir a Hazael rei sobre a Síria, a Eliseu, como profeta, para sucedê-lo, e também a Jeú, filho de Ninsi, rei sobre Israel. Com o assassinato de Nabote, o Senhor deu a sentença final sobre a casa de Acabe:

O Senhor dita a sentença contra a casa de Acabe

  Disse o Senhor a Elias: "Falarás a Acabe, dizendo: Assim diz o Senhor: No lugar em que os cães lamberam o sangue de Nabote, lamberão também o teu próprio sangue.  Eis que trarei o mal sobre ti; lançarei fora a tua posteridade, e arrancarei de Acabe todo homem, escravo ou livre, em Israel;  e farei a tua casa como a casa de Jeroboão, filho de Nebate, e como a casa de Baasa, filho de Aías, por causa da provocação com que me provocaste à ira, fazendo Israel pecar".  
 Também acerca de Jezabel falou o Senhor, dizendo: "Os cães comerão Jezabel junto ao antemuro de Jizreel. Quem morrer a Acabe na cidade, os cães o comerão; e o que lhe morrer no campo, as aves do céu o comerão".  
 Elias fez o que o Senhor mandou, mas não teve tempo de ungir Jeú rei sobre Israel no lugar de Acabe, pois foi levado pelo Senhor num carro de fogo. Então coube ao profeta Eliseu concluir a tarefa.  
 Nesse meio tempo, Josafá rei de Judá já havia morrido e seu filho Jeorão reinava em seu lugar, e desviou-se dos caminhos do seu pai e aliou-se com Acabe e, depois de sua morte, seu filho Acazias reinou em seu lugar e continuou a proceder mal como o pai. 
 Em Israel, segundo a palavra que o Senhor havia falado a Elias, Acabe foi morto em combate e levaram seu corpo para Samaria. Os cães, como o Senhor falara, lamberam o sangue de Acabe que ficara no fundo do seu carro de guerra, quando o foram lavar próximo à vinha que pertencera à Nabote. Alí naquelas águas também se banhavam as prostitutas... 
  Ficou Jezabel, e Jorão, filho dela e de Acabe, começou a reinar sobre Israel.

Jeú é ungido rei sobre Israel

  Então Eliseu, dando cumprimento ao mandado do Senhor, mandou um dos rapazes que o servia até Ramote-Gileade, onde estava acampado o exército de Israel. Eliseu disse ao moço para lá chegar e procurar por Jeú, comandante do exército e, sem nada dizer, deveria levar Jeú a um local afastado e ungí-lo e então falar:  Assim diz o Senhor Deus de Israel: "Ungi-te rei sobre o povo do Senhor, sobre Israel. Ferirás a casa de Acabe, teu senhor, para que eu vingue da mão de Jezabel o sangue de meus servos, os profetas, e o sangue de todos os servos do Senhor. Pois toda a casa de Acabe perecerá; e destruirei de Acabe todo filho varão, tanto o escravo como o livre em Israel". 
 Terminando isso, o rapaz saiu correndo dali, como mandara Eliseu. E assim, os demais chefes de exército, quando souberam pela boca de Jeú o que havia acontecido, logo se alegraram e o aclamaram como rei de Israel. Valente e impetuoso, Jeú logo tratou de dar cumprimento às ordens do Senhor. Então Jeú subiu a um carro, e foi a Jizreel; porque Jorão estava acamado ali; e também Acazias, rei de Judá, descera para visitar Jorão.

A Espada de Deus começa a vingança

  "O atalaia que estava na torre de Jizreel viu a tropa de Jeú, que vinha e disse: Vejo uma tropa. Disse Jorão: Toma um cavaleiro, e envia-o ao seu encontro a perguntar: Há paz? E o cavaleiro lhe foi ao encontro, e disse: Assim diz o rei: Há paz? Respondeu Jeú: Que tens tu que fazer com a paz? Passa para trás de mim. E o atalaia deu aviso, dizendo: Chegou a eles o mensageiro, porém não volta. Então Jorão enviou outro cavaleiro; e, chegando este a eles, disse: Assim diz o rei: Há paz? Respondeu Jeú: Que tens tu que fazer com a paz? Passa para trás de mim. E o atalaia deu aviso, dizendo: Também este chegou a eles, porém não volta; e o andar se parece com o andar de Jeú, filho de Ninsi porque anda furiosamente. 
 Disse Jorão: Aparelha-me o carro! E lho aparelharam. Saiu Jorão, rei de Israel, com Acazias, rei de Judá, cada um em seu carro para irem ao encontro de Jeú, e o encontraram no campo de Nabote, o jizreelita. E sucedeu que, vendo Jorão a Jeú, perguntou: Há paz, Jeú? Respondeu ele: Que paz, enquanto as prostituições da tua mãe Jezabel e as suas feitiçarias são tantas? 
 Então Jorão deu volta, e fugiu, dizendo a Acazias: Há traição, Acazias! 
 Mas Jeú, entesando o seu arco com toda a força, feriu Jorão entre as espáduas, e a flecha lhe saiu pelo coração; e ele caiu no seu carro. Disse então Jeú a Bidcar, seu ajudante: Levanta-o, e lança-o no campo da herança de Nabote, o jizreelita; pois lembra-te de indo eu e tu juntos a cavalo após seu pai Acabe, o Senhor pôs sobre ele esta sentença, dizendo: 
 Certamente vi ontem o sangue de Nabote e o sangue de seus filhos, diz o Senhor; e neste mesmo campo te retribuirei, diz o Senhor. Agora, pois, levanta-o, e lança-o neste campo, conforme a palavra do Senhor.

A morte de Jezabel

 Quando Acazias, rei de Judá, viu isto, fugiu pelo caminho da casa do jardim. E Jeú o perseguiu, dizendo: A este também! Matai-o! Então o feriram no carro, à subida de Gur, que está junto a Ibleão; mas ele fugiu para Megido, e ali morreu. E seus servos o levaram num carro a Jerusalém, e o sepultaram na sua sepultura junto a seus pais, na cidade de Davi. 
 Ora, Acazias começara a reinar sobre Judá no ano undécimo de Jorão, filho de Acabe. 
 Depois Jeú veio a Jizreel; o que ouvindo Jezabel, pintou-se em volta dos olhos, e enfeitou a sua cabeça, e olhou pela janela. Quando Jeú entrava pelo portão, disse ela: Teve paz Zinri, que matou a seu senhor? 
 Ao que ele levantou o rosto para a janela e disse: Quem é comigo? quem? E dois ou três eunucos olharam para ele. Então disse ele: Lançai-a daí abaixo. E lançaram-na abaixo; e foram salpicados com o sangue dela a parede e os cavalos; e Jeú a atropelou. E tendo ele entrado, comeu e bebeu; depois disse: Olhai por aquela maldita, e sepultai-a, porque é filha de rei. 
 Foram, pois, para a sepultar; porém não acharam dela senão a caveira, os pés e as palmas das mãos. Então voltaram, e lho disseram. Pelo que ele disse: Esta é a palavra do Senhor, que ele falou por intermédio de Elias, o tisbita, seu servo, dizendo: No campo de Jizreel os cães comerão a carne de Jezabel, e o seu cadáver será como esterco sobre o campo, na herdade de Jizreel; de modo que não se poderá dizer: Esta é Jezabel. 
 Ora, Acabe tinha setenta filhos em Samária. E Jeú escreveu cartas, e as enviou a Samária, aos chefes de Jizreel, aos anciãos, e aos aios dos filhos de Acabe, dizendo: 
 Logo que vos chegar esta carta, visto que estão convosco os filhos de vosso senhor, como também carros, e cavalos, e uma cidade fortificada, e armas, escolhei o melhor e mais reto dos filhos de vosso senhor, ponde-o sobre o trono de seu pai, e pelejai pela casa de vosso senhor.

70 filhos de Acabe são degolados  
e suas cabeças entregues a Jeú

 Eles, porém, temeram muitíssimo, e disseram: Eis que dois reis não lhe puderam resistir; como, pois, poderemos nós resistir-lhe? 
 Então o que tinha cargo da casa, o que tinha cargo da cidade, os anciãos e os aios mandaram dizer a Jeú: Nós somos teus servos, e tudo quanto nos ordenares faremos; a homem algum constituiremos rei. Faze o que parecer bem aos teus olhos. 
 Depois lhes escreveu outra carta, dizendo: Se sois comigo, e se quereis ouvir a minha voz, tomai as cabeças dos homens, filhos de vosso senhor, e amanhã a estas horas vinde ter comigo a Jizreel: Ora, os filhos do rei, que eram setenta, estavam com os grandes da cidade, que os criavam. Sucedeu pois, que, chegada a eles a carta, tomaram os setenta filhos do rei e os mataram; puseram as cabeças deles nuns cestos, e lhas mandaram a Jizreel. 
 Veio um mensageiro e lhe anunciou, dizendo: Trouxeram as cabeças dos filhos do rei. E ele disse: Ponde-as em dois montões à entrada da porta, até pela manhã. Ao sair ele pela manhã, parou, e disse a todo o povo: Vós sois justos; eis que eu conspirei contra o meu senhor, e o matei; mas quem feriu a todos estes? Sabei, pois, agora que, da palavra do Senhor, que o Senhor falou contra a casa de Acabe, nada cairá em terra; porque o Senhor tem feito o que falou por intermédio de seu servo Elias. 
 E Jeú feriu todos os restantes da casa de Acabe em Jizreel, como também a todos os seus grandes, os seus amigos íntimos, e os seus sacerdotes, até não lhe deixar ficar nenhum de resto. Então Jeú se levantou e partiu para ir a Samária. E, estando no caminho, em Bete-Equede dos pastores,  encontrou-se com os irmãos de Acazias, rei de Judá, e perguntou: Quem sois vós? Responderam eles: Somos os irmãos de Acazias; e descemos a saudar os filhos do rei e os filhos da rainha. 
 Então disse ele: Apanhai-os vivos. E eles os apanharam vivos, quarenta e dois homens, e os mataram junto ao poço de Bete-Equede, e a nenhum deles deixou de resto. E, partindo dali, encontrou-se com Jonadabe, filho de Recabe, que lhe vinha ao encontro, ao qual saudou e lhe perguntou: O teu coração é sincero para comigo como o meu o é para contigo? Respondeu Jonadabe: É. Então, se é, disse Jeú, dá-me a tua mão. E ele lhe deu a mão; e Jeú fê-lo subir consigo ao carro,  e disse: Vem comigo, e vê o meu zelo para com o Senhor. E fê-lo sentar consigo no carro.

Jeú extermina os adoradores de Baal

 Quando Jeú chegou a Samária, feriu a todos os que restavam de Acabe em Samária, até os destruir, conforme a palavra que o Senhor dissera a Elias. Depois ajuntou Jeú todo o povo, e disse-lhe: Acabe serviu pouco a Baal; Jeú, porém, muito o servirá. Pelo que chamai agora à minha presença todos os profetas de Baal, todos os seus servos e todos os seus sacerdotes; não falte nenhum, porque tenho um grande sacrifício a fazer a Baal; aquele que faltar não viverá.  Jeú, porém, fazia isto com astúcia, para destruir os adoradores de Baal. 
 
Disse mais Jeú: Consagrai a Baal uma assembléia solene. E eles a apregoaram. Também Jeú enviou mensageiros por todo o Israel; e vieram todos os adoradores de Baal, de modo que não ficou deles homem algum que não viesse. E entraram na casa de Baal, e encheu-se a casa de Baal, de um lado a outro. Então disse ao que tinha a seu cargo as vestimentas: Tira vestimentas para todos os adoradores de Baal. E eles lhes tirou para fora as vestimentas. 
 E entrou Jeú com Jonadabe, filho de Recabe, na casa de Baal, e disse aos adoradores de Baal: Examinai, e vede bem, que porventura não haja entre vós algum servo do Senhor, mas somente os adoradores de Baal. Assim entraram para oferecer sacrifícios e holocaustos.   Ora, Jeú tinha posto de prontidão do lado de fora oitenta homens, e lhes tinha dito: Aquele que deixar escapar algum dos homens que eu vos entregar nas mãos, pagará com a própria vida a vida dele. 

 Sucedeu, pois, que, acabando de fazer o holocausto, disse Jeú aos da sua guarda, e aos oficiais: Entrai e matai-os! não escape nenhum! Então os feriram ao fio da espada; e os da guarda e os oficiais os lançaram fora e, entrando no santuário da casa de Baal, tiraram as colunas que nela estavam, e as queimaram. Também quebraram a coluna de Baal, e derrubaram a casa de Baal, fazendo dela uma latrina, como é até o dia de hoje. Assim Jeú exterminou de Israel a Baal. 
 Todavia Jeú não se apartou dos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, com que fez Israel pecar, a saber, dos bezerros de ouro, que estavam em Betel e em Dã. 

 Ora, disse o Senhor a Jeú: porquanto executaste bem o que é reto aos meus olhos, e fizeste à casa de Acabe conforme tudo quanto eu tinha no meu coração, teus filhos até a quarta geração se assentarão no trono de Israel". 
  Jeú, assim, livrou Israel da maldade da casa de Acabe e dos adoradores de Baal, mas ele mesmo acabou também procedendo mal diante do Senhor, mas Deus cumpriu o que prometera e até a quarta geração de Jeú reinou sobre Israel. Não houve outro rei como Jeú em Israel, a quem o próprio Deus transformou em sua Espada de Vingança!
 
 

Fonte da foto: Correspondente da Folha Universal em Israel

NE - Ruínas de Jisreel, local onde Jezabel foi devorado por cães, segundo a Palavra do Senhor. No destaque, o sinete usado pela rainha e identificado na Holanda. As traduções da  Bíblia apresentam algumas diferenças, sem, contudo, interferir em sua essência. Na tradução que usamos, a cidade é chamada Jizreel, e na matéria do jornal acima citado, é Jezreel. Também na tradução que usamos, Samaria é escrita Samária. Mantivemos as duas versões. 
NE 2 - Do entretítulo A Espada de Deus começa a vingança, até quando o Senhor fala a Jeú, no final, as narrativas foram copiadas integralmente das Sagradas Escrituras. 


 

GRANDES MATÉRIAS
MUNDO SERTANEJO
NOSSOS HERÓIS
REVOLUCIONÁRIOS
ESPECIAIS
HOME PAGE
 
 
 
 
 
 

 

Sergio Ferraz - Todos os direitos reservados