Jackie Chan
O rei do bom-humor no Kung Fu 

 
 

  Dirigido e atuado por Jackie Chan, O Jovem Mestre do Kung Fu (cartaz), da década de 70, é um dos grandes filmes daquele que, depois de Bruce Lee, e ao lado de Jet Li, é um dos maiores fenômenos cinematográficos da China atualmente. Jackie já atuou em uma centena de filmes e nestes ele, muito inteligentemente, optou por deixar a velha pancadaria dos filmes de artes marciais e mostrar em seus filmes muita ação só que, com grande bom-humor. Isso o transformou na estrela máxima, agradando a adultos e crianças.
   Mas isso não é uma novidade dos mais recentes filmes de Jackie, pois desde a década de 70 ele já imprimia ação e cenas de muito humor  em seus filmes, como podemos ver no Jovem Mestre do Kung Fu, onde ele em desvantagem  numa luta, descobre que seu adversário tem um cachimbo de estimação. Daí a coisa fica hilária e a performance de Chan como um Chaplin oriental, é admirável.
  Este mesmo filme recebeu no Hong Kong Awards o prêmio de Melhor Cena de Ação. Mais que merecido!

  Chan Kong-Sang, mais conhecido como Jackie Chan, nasceu em Victoria Peak, Hong Kong, em 7 de abril de 1954.
  Jackie Chan é um dos atores orientais que faz maior sucesso no Ocidente. Além dos filmes em que participou, ainda há uma história em quadrinhos e um desenho animado com o seu nome. Jackie Chan também possui uma estrela na Calçada da Fama, localizada em 6801 Hollywood Boulevard, e uma estrela na Avenida das Estrelas de Hong Kong, sendo considerado por muitos como o maior ator oriental, depois de Bruce Lee.
  Um fato que ajuda a explicar o sucesso de Jackie Chan é o seu carisma com o público. Entretanto, o seu estilo original de fazer filmes é que foi realmente decisivo para a sua carreira. 

Começa a virada da sorte

  Jackie Chan (conhecido na China como "Dragão Chan", em pin yin "sheng long"  nasceu em uma família tão pobre que Chan quase foi vendido para um rico casal britânico quando ainda era bebê. Por volta de 1960, seu pai, Charles Chan Chi-Ping, e sua mãe, Lee-Lee Chan Yuet-Wing, fugiram para Camberra, na Austrália, como refugiados da Guerra Civil Chinesa.
  De volta à China ao fim da guerra, os pais de Jackie voltaram a trabalhar como serviçais na embaixada francesa e Jackie começava a mostrar seus dons artísticos e, numa de suas apresentações, foi visto por um cineasta local que o
convidou para fazer uma pequena participação no longa-metragem que ele estava produzindo. Jackie Chan se destacava entre os demais dublês e figurantes e assim novos convites iam surgindo e Jackie ia deixando a pobreza para trás. Não demorou muito para que Jackie Chan alcançasse o papel principal de grandes filmes chineses, entretanto o sucesso no Ocidente só viria bem mais tarde.

  Em dezembro de 1982, já após vários filmes, conhecidos tanto na China como no Ocidente, Jackie já havia se tornado um ator de sucesso. Casou-se com a atriz taiwanesa Joan Lin Feng-Jiao com quem teve um filho em 1983, batizado de Chan Cho Ming. 
  São tantas as curiosidades a respeito de Jackie Chan e sua família, que em 2003 o ator fez um documentário chamado Traces of a Dragon: Jackie Chan and His Lost Family que abordava exclusivamente a família de Jackie Chan e a vida pessoal do mesmo, revelando, entre outras coisas, que ele descobriu ter duas meias-irmãs na Austrália e dois meios-irmãos na China. Como explicar isso - ou se Jackie explica tal fenômeno paternal no documentário, só assistindo o mesmo...
  Em 1988 Jackie Chan fundou uma instituição de caridade chamada Jackie Chan Charitable Foundation, que repassa uma quantidade considerável de dinheiro para programas de caridade a crianças em vários países e para os mais diversos programas sociais, como os realizados pela Cruz Vermelha e pela UNICEF. Por meio de sua fundação, Jackie Chan também financia bolsas de estudos acadêmicas e artísticas para crianças carentes e para atores que sofreram lesões durante sets de filmagem.


 
 
 

  Jackie Chan, hoje aos 58 anos de idade, tem um currículo  invejável de mais de 100 filmes ao longo de sua carreira, tendo nos primeiros 20 filmes papéis secundários como coadjuvante ou figurante e, a partir do final da década de 70, como personagem principal em quase todos os filmes que participou.
Chan criou sua imagem nas telas como uma resposta a Bruce Lee, e aos diversos imitadores que apareceram antes e depois da morte de Lee. Em contraste aos personagens de Lee, que eram heróis tipicamente rígidos e bons de pancada, Chan interpreta sujeitos comuns, bem intencionados e ligeiramente bobos (frequentemente à mercê de seus amigos, namoradas ou famílias) mas que sempre triunfam no final, apesar das dificuldades. Alguma coincidência com Charles Chaplin, o Carlitos?
 Por ter grandes problemas com a lingua inglesa, Jackie gosta de filmar mais na China, onde, é claro, se sente muito mais à vontade. Mesmo Bruce Lee, que tinha cidadania americana e chinesa, e era muito mais entrosado nos EUA, preferia filmar na China. 

  E o nosso Jackie Chan, além de ator e diretor de filmes de sucesso, também é cantor, sendo suas músicas muito populares na Ásia, principalmente em Hong Kong. Sua primeira produção musical profissional foi feita na década de 1980, e desde então Jackie Chan lançou mais de 20 álbuns, vários dos quais foram usados como trilha sonora em filmes que ele mesmo participou. Um fato relevante a respeito de suas músicas, é que Chan canta em muitas línguas, incluindo coreano, mandarim, cantonês, japonês e inglês. O cara não é fraco não!

Das porradas de Bruce Lee a Jackie Chan,
o grande, famoso e milionário ator e 
personagem de quadrinhos e jogos virtuais

  Ainda bem jovem e completamente desconhecido, Jackie Chan fez três participações em dois filmes de Bruce Lee: Em Fist of Fury (Punhos de Fúria, que o GNT trouxe um clipe), ele atuou em duas cenas do filme, na primeira quando o personagem Chen invade a escola japonesa, onde enfrenta vários lutadores, sendo que Chan é um deles; e na luta final entre Chen e Suzuki, quando o último é arremessado ao jardim da escola devido a uma voadora de Chen, é Jackie quem atua como dublê (Ele relatou essa experiência em uma entrevista). Já em Enter the Dragon Jackie aparece como um capanga por 10 segundos...
  Mas a vida miserável de Jackie passou e ele foi se firmando cada vez mais no mundo da Sétima Arte e até no mundo da Nona Arte, onde ele aparece como herói de quadrinhos. E, no mundo virtual, Jackie Chan aparece, direta e indiretamente em 6 jogos: Yie-Ar Kung Fu, Jackie Chan Stuntmaster e Jackie Chan Adventures (este último baseado na animação homônima). Em Dragon Ball, Mestre Kame usou o nome "Jackie Chun" como disfarce, uma clara referência à Jackie Chan.  Em Pokemon, um dos pokemons possui um nome em homenagem ao artista. Seu nome é Hitmonchan. E, finalmente, no game Tekken, o personagem Lei Wulong é uma homenagem a Jackie Chan.
 
 

Imagem ao lado do jogo Play 
Station, As Aventuras
de Jackie Chan.
 

 

 

GRANDES MATÉRIAS
MUNDO SERTANEJO
NOSSOS HERÓIS
REVOLUCIONÁRIOS
ESPECIAIS
HOME PAGE
 
 
 
 
 
 

 

Sergio Ferraz - Todos os direitos reservados